2017 > O anexo <

Sinopse

Quase todos conhecem a história dramática de Anne Frank, a jovem
adolescente, que com apenas 13 anos, se escondeu, juntamente com a sua
família e outros quatro judeus, num anexo secreto para tentar escapar à
sorte dos judeus, que haviam começado ser deportados por parte dos
alemães nazis para campos de concentração em 1942. *

Mas poucos conhecem os detalhes dessa auto-reclusão. Anne escreveu quase sempre para uma amiga imaginária a quem chamou de Kitty, e com uma curiosidade pela vida e pelo comportamento humano, e com um sentido de humor muito peculiar para sua idade, descreveu o dia-a-dia dentro do anexo, detalhando as suas rotinas e as dos seus habitantes, e os “acontecimentos extraordinários” a que estavam sujeitos. A honestidade dos seus sentimentos, a sua reflexão sobre a justiça, ou a curiosidade sobre a descoberta dos afectos, faz com que este testemunho, de esperança e perseverança, seja para todos as idades e todas as culturas. “O homem nasce com o intuito da destruição, do massacre, da fúria, e enquanto toda a humanidade não sofrer uma metamorfose total, haverão sempre guerras (…) Considero a nossa vida de mergulhadores (os judeus escondidos) uma aventura perigosa que é, ao mesmo tempo, romântica e interessante. Isto aqui é um bom princípio com muitas coisas cheias de interesse e, mesmo nos momentos mais perigosos, vejo o cómico da situação e não posso deixar de rir” (Anne Frank)
O espectáculo O Anexo, inspirado no seu diário, nasce precisamente desta premissa.
Nádia Santos

* Dos oito habitantes do anexo apenas o pai de Anne Frank (Otto Frank) conseguiu sobreviver aos campos de concentração. Foi através dele, que os diários de Anne Frank chegaram ao conhecimento do público.

 

Dispositivo Cénico

A cenografia deste espectáculo tem uma essência elementar, consistindo em sete
cabides de madeira, cinco candeeiros de pé alto e três estruturas simples.
A planta do anexo é desenhada no chão com fita cola.

 

Ficha técnica e artística
Dramaturgia e Encenação: Nádia Santos
Interpretação: Ana Grilo e Carla Sofia Miguel;
Cenografia: Nádia Santos, Rui Pinheiro e Rui Varão
Som: Nádia Santos
Desenho de luz: Nádia Santos e Paulo Vaz
Cartaz: Carlos Mohedano e Nádia Santos
Figurinos: Ana Grilo, Carla Sofia Miguel e Nádia Santos
Costureira: Fátima Antunes
Produção Executiva: Rui Pinheiro
Produção: Ajidanha

 

“O anexo”, estreou a 1 e 2 de julho de 2017, no Estúdio Teatro ajidanha, em Idanha-a-Nova.

 

PÚBLICO-ALVO
Geral. Para toda a família

CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA
M/12

DURAÇÃO
50 minutos

INTERVENIENTES DA ITINERÂNCIA DO ESPECTÁCULO
2 Intérpretes e 1 técnico

RIDER TÉCNICO

1. Palco e cenografia

As dimensões ideais do palco, para este espectáculo, são seis metros de largura de boca e seis metros de profundidade útil.
O espectáculo pode-se adaptar a espaços não – convencionais, tendo uma cenografia e
requisitos técnicos que assim o permitem.
Sempre que possível, o envio prévio de fotografias, dos espaços onde o espectáculo irá
decorrer, facilitará a sua montagem.
Nota: Durante o espectáculo acendem-se nove velas (que são apagadas imediatamente).

2. Luz

A luz do espectáculo é feita com uma luz geral no palco e por cinco candeeiros, com
duas lâmpadas cada um, e controlados pelas atrizes em cena.

3. Som

O som é realizado através de um telemóvel e uma coluna, e operado pelas actrizes em
cena

Para ver o dossier deste espectáculo:

http://ajidanha.com/anexo/anexo.pdf